ADRIANA RESTUM CRIADORA DA GRIFE DAS ESTRELAS, DÁ DICAS DE COMO ATUAR NO MERCADO DA MODA

  • Compartilhe:

Um dos maiores desafios do empreendedor é fazer mais com menos e muitas vezes começar com muito pouco ou até mesmo sem nenhum capital.  Para mudar essa história e ultrapassar as barreiras um dos melhores, se não o único caminho é saber estabelecer boas parcerias estratégicas. É isso que faz Adriana Restum uma das maiores empresárias do mundo da moda. Restum é uma daquelas empreendedoras natas, ela conseguiu colocar sua marca entre as amadas e queridas celebridades feminina, é proprietária do Grupo Top Brands que conta com a marca Planet Girls entre outras.

 

Empreendedora premiada, Adriana Restum, já foi homenageada em diversas situações entre elas, com o Prêmio Adela Villas Boas Mulher do Ano, em 2016.

 

Restum é uma empreendedora visionaria, trouxe em 2018 a primeira edição do “Itaim Experience” um movimento de moda para lançar a coleção Verão 2019, trazendo além das marcas do grupo outras marcas de lojas do bairro.

 

A Empreenda Revista entrevistou Adriana Restum que traz dicas incríveis para você que é amante de moda e deseja atuar na área.

 

O que lhe fez criar interesse pela moda?

Comecei a trabalhar aos 12 anos de idade em uma fábrica de jeans, como arrematadora, e lembro como se fosse ontem que falei para a minha avó que aquele era o dia mais feliz da minha vida – o dia em que consegui meu primeiro emprego, uma conquista nunca antes conhecida e, mais do que isso, sentida.

Depois, como sacoleira de roupas, eu fazia compras em São Paulo, capital, e revendia no interior do estado, em cidades como Campo Limpo Paulista e Jundiaí. Tudo começou a dar certo, passei a desenhar minha própria coleção motivada em criar uma marca para valorizar o corpo da mulher brasileira, com peças de qualidade, preços competitivos e excelência no atendimento.

Em 1997, nascia a Planet Girls, que ficou nacionalmente conhecida como “A grife das estrelas”, pois agradou a várias celebridades pelo toque de sensualidade que as peças da marca apresentavam. Hoje vejo que, de forma involuntária, o que eu fazia por meio da moda que criava, preocupada em valorizar o biótipo da mulher brasileira, na realidade estava empoderando essa mulher, levantando sua autoestima e mostrando que é possível se expressar pela moda. 

 

Quais foram os pontos principais da sua empresa que você precisou dedicar uma atenção especial quando pensou em expandir seu negócio?

Sempre estive atenta aos desejos das clientes e me oriento pelo mercado, busco fazer o básico bem-feito, foco nas pessoas e nas vendas. 

Hoje, com o Grupo Top Brands que reúne as marcas Planet Girls, GRock, SMK, Look Lash, Celebrity Hair, Adriana Restum Store e #ItaimExperience, vejo que a expansão dos negócios é fruto de detectar na atitude das clientes o desejo de encontrar marcas que representem seu estilo de vida, seus interesses pessoais, valores e personalidade. Há de se destacar a importância de uma melhor experiência no ponto de venda, com melhoria no serviço de atendimento e disponibilidade de produtos.

Qual a sua opinião sobre a evolução da moda brasileira?  E como, estrategicamente, você acompanha a evolução das marcas sob seu comando?

Embora o Brasil seja um dos maiores produtores têxteis do mundo e a indústria da moda a segunda maior geradora de empregos no país, o setor da moda no Brasil vem passando por dificuldades, pelo menos, nos últimos anos. O cenário de crise no país fez com que o segmento se visse obrigado a reduzir custos e melhorar a sua rentabilidade. 

 

Quais os maiores desafios da área hoje? E como você vê o mercado?

Como desafios, para dar continuidade à evolução das marcas do Grupo Top Brands, vejo a necessidade de planejar nossas estratégias para continuar a oferecer um bom produto e nos destacarmos mesmo com uma grande concorrência. Para isso, estamos investindo em tecnologia, consultorias e treinamentos, e estamos atentos às melhorias continuadas de cada etapa do processo, como: criação, produção, logística, marketing e vendas.

Estamos buscando, também, aumento da produtividade com a reformas de lojas, expansão de mercado com abertura de novas unidades, novo visual merchandising, melhor experiência de compra (filas, provadores, alarmes), e crescimento da área de vendas. 

Com essas ações esperamos multiplicar a velocidade no desenvolvimento e entrega de produtos, melhorar a gestão da entrada das coleções com um maior número de coleções por ano, melhorar o giro de estoques com uma melhor alocação de produtos nas lojas e, consequentemente, ganhar em produtividade e margem. 

Mas acredito que o maior desafio hoje é o desenvolvimento das pessoas; assim, invisto em capacitação e programas de incentivo para a equipe. Creio que as pessoas que trabalham conosco devem se sentir valorizadas e estar motivadas, devem ter paixão pelo que fazem. Brilho nos olhos.  

 

Quais conselhos daria para quem deseja trabalhar na área de moda, como estilista ou mesmo como empreendedor?

Com a rápida divulgação das tendências mundiais pela mídia, proporcionada pela globalização, esse mercado vem gerando oportunidades de negócios e envolvendo inúmeras profissões. A partir da minha experiência, penso que temos que sonhar e lutar por nossos sonhos todos os dias. Assim, avalio que a viabilidade de se iniciar um empreendimento de moda é positiva, vejo chances de sucesso no negócio, desde que seja bem administrado e se tenha em mente que será necessário focar não em vender um produto, mas, sim, em vender um conceito, e dar atenção a itens como mix de produtos, canais de marketing e layout e design da loja. Mas, principalmente, é preciso resiliência, e preparar-se para muitas tentativas, erros e muito, muito aprendizado. Quem quiser atuar na área não poderá ter medo de trabalho, e deverá lutar pelos seus sonhos.