Gestão Horizontal

  • Compartilhe:

Grandes marcas como Google e Netflix tem sido consideradas as "empresas dos sonhos” por funcionários, donos e até mesmo empreendedores do mundo todo. O modelo de negócio moderno, descontraído e que mesmo assim, gera lucros extraordinários, tem sido estudado e implementado por empresários de diversos segmentos. Um dos recursos de maior sucesso é o modelo de gestão horizontal , cujo objetivo é facilitar a comunicação entre os líderes e os seus funcionários.

O tradicional método de gestão em que “manda quem pode, obedece quem tem juízo” tem se tornado cada vez menos vantajoso . Nessa relação, os colaboradores de uma empresa costumam encontrar dificuldades na comunicação, já que o processo até o resultado final, passa por várias pessoas. Diante ao desafio, grandes líderes propuseram a gestão horizontal para simplificar a comunicação.

Neste modelo hierárquico, por exemplo, as equipes que antes tinham níveis de analistas, coordenadores, gerentes e diretores, hoje, passam a corresponder somente ao dono da empresa, um processo que estimula, principalmente o fluxo livre de comunicação entre os funcionários e os donos, estes, que precisam atuar como verdadeiros líderes, e não mais como detentores de todo o poder. Neste formato, os trabalhadores acabam se tornando mais produtivos pois são diretamente envolvidos nos processos de decisão da empresa.

Além da efetividade na comunicação, a responsabilidade dos resultados acaba sendo dividida entre todos, incentivando a intenção de contribuição e trazendo à tona a “cultura do dono”. Aqui é o lugar ideal para o surgimento do perfil empreendedor, que muitas vezes não se encaixou em outras organizações justamente pela falta de liberdade de atuação. Neste momento os colaboradores não irão mais valorizar a habitual relação de poder, e sim valorizar o esforço coletivo e individual empenhado.

O sucesso dos negócios será um compromisso de todas as áreas envolvidas!

A partir do momento em que o colaborador possui a autonomia para tomada de decisões, ele passa a se preocupar também com o posicionamento da empresa no mercado, uma vez que o crescimento independe do seu cargo ou de outros favorecimentos, e sim do seu esforço como um todo.

Mas não pense que este modelo de gestão será a solução dos seus problemas , a implementação requer muito cuidado, uma vez cada tipo de negócio possui a sua cultura e os seus valores, por isso:

• Confira antes se esse modelo de gestão se enquadra no seu negócio.

• Certifique-se de que as pessoas, colaboradores e gestores, estarão dispostas e maduras para aceitar as novas práticas, essa participação de todos em tudo, muitas vezes pode soar como intromissões e algumas pessoas não sabem lidar com esses comportamentos.

• Tenha cuidado com um ambiente que pode trazer aos funcionários a percepção de que a empresa “não tem um dono”.

• Mesmo em um ambiente menos burocrático, estabeleça processos claros e metas de desenvolvimento para cada funcionário, de nada adiantará um bom clima organizacional se a companhia não estiver lucrando.

Como CEO do Grupo Projeto, posso dizer que os resultados dessa gestão tem sido bem significantes. Como agência de comunicação e eventos, somos representantes de novos formatos e tendências de trabalho, uma vez que o nosso papel envolve a inovação a todo momento. Como exercício deste novo conceito, mantenho sempre minhas portas abertas para que os colaboradores possam expressar suas opiniões e participar de decisões importantes.

Então, antes de tomar qualquer decisão, compartilhe com o seu time e invista em um mentor especialista para ajudar a avaliar a melhor adaptação da gestão ao seu negócio.

Confira mais dicas de empreendedorismo no site tatyaneluncah.com e nas minhas redes sociais: Instagram e Facebook @tatyaneluncah