O que eu aprendi na maior feira do varejo em Nova Iorque

  • Compartilhe:

Nos últimos dias 13, 14 e 15 de janeiro, estive na NRF Retail's Big Show, a maior feira de varejo no mundo e pude acompanhar de perto as principais tendências que guiarão o comércio no próximo ano.

Em sua 108ª edição, o evento realizado em New York contou com a participação de grandes representantes de lojas de departamentos, lojas especializadas, varejistas independentes, redes de restaurantes, além de dezenas de startups com conteúdos exclusivos de inovação e tecnologia para o setor.

Se engana quem pensa que a NRF só tem conteúdo para os varejistas; as grandes tendências citadas nas palestras e apresentações de cases são um norte para quem deseja inovar durante as experiências de venda de suas empresas.

E pra compartilhar esse conteúdo, listei alguns dos temas que mais foram falados durante o evento.

Experiência

Se o objetivo é inovar, a experiência continua sendo uma das principais formas de contatar o público. Promover uma atividade em que o consumidor esteja no centro da experiência tem sido um desafio para as marcas. E quando falamos de experiência, automaticamente citamos a tecnologia, que vem sido aprimorada para atender à essas demandas.

Diminuindo a jornada do consumidor

E para promover uma experiência superpositiva, as grandes empresas mostram que o caminho é facilitar o processo de compra e através da tecnologia, diminuir a jornada do consumidor, fazendo com ele tenha menos etapas na hora de comprar um produto.

Personalização

Estamos na era da personalização! Se durante essa curta jornada do consumidor ele puder personalizar um produto do seu jeito, a ligação com aquela marca será ainda mais forte. E para apostar nessa tendência, os especialistas dizem que os dispositivos móveis são o caminho mais provável.

Dados

Se o assunto é “conhecer o seu consumidor” a administração dos dados pode ser a saída para as vendas. Um dos termos utilizados para falar sobre isso é o "Deep Retail”, que significa mergulhar fundo nos dados de varejo e assim gerir uma inteligência maior de relacionamento e vendas entre marca e cliente.

Storytelling

Contar uma história nunca foi tão importante. O Storytelling mais uma vez ganhou destaque entre os cases de sucesso. As lojas conceito tomaram conta do mundo, isso porque elas trazem uma experiência de imersão exclusiva.

Recursos humanos e diversidade

Fatores essenciais no desenvolvimento de uma empresa, mesmo com toda tecnologia nos processos de venda, uma empresa sadia sempre precisará de colaboradores que vestem a camisa, sentem-se parte do negócio, acreditam na cultura e no propósito da marca e, principalmente, conhecem o produto que estão vendendo. E para que todos sintam-se inclusos, o tema “diversidade" precisa ser tratado com total relevância.

Um dos maiores orgulhos, sem dúvida, foi ver a participação ativa das mulheres no evento. Estive ao lado de grandes executivas, sedentas por conhecimento e conteúdo de primeira para fazer o seu melhor aqui no Brasil. Uma das primeiras palestras que assisti foi em um painel de líderes femininas, lá elas contaram alguns dos desafios e inspiraram a transformação para outras mulheres que desejam assumir seus papeis de liderança mais ativamente no mercado.

E se o foco é pessoas, a tendência é o colaborativo, fluido, blended.

É conhecer o cliente, dar o poder de escolha a ele e deixá-lo no centro da jornada do consumidor. Uma marca que valoriza o cliente do jeito que ele é cria uma conexão inabalável, faz dele um verdadeiro fã.

 

Quer mais dicas e conteúdos sobre Empreendedorismo e Marketing? Acompanhe minhas redes sociais: Instagram, Facebook e LinkedIn @tatyaneluncah ou acesse www.tatyaneluncah.com.br