Empreenda Entrevista Roberto Sekiya

  • Compartilhe:

Roberto Sekiya, Subsecretario de Empreendedorismo e de Micro e Pequena Empresa do Governo do Estado de São Paulo recebeu a Empreenda em seu gabinete e falou sobre a importância de fazer conexões para realizar negócios.

ER: O ABC é muito próximo a capital, os empreendedores têm desafios de manter os clientes por lá, o que é possível fazer nesse cenário?
RS: Empreendedor é mais do que ser dono de um negócio, a atitude conta muito, o incomodo de ter as pessoas indo até a capital (SP) comprar, deve mover os empreendedores do ABC para criar alternativas para não deixar isso acontecer.

ER: Na sua opinião porque algumas pequenas empresas não conseguem sobreviver por mais de 2 anos?
O comportamento do empreendedor independente do porte, grande empresa ou pequena empresa, eles cometem o mesmo erro. Abrem a empresa sem ter um negocio estruturado e essa ilusão é destruidora. Empreender não é só técnica, tem um fator psicológico forte. Se os pequenos empreendedores se juntarem e fazerem conexões ajudará muito, eles precisam trocar ideias, a grande parte não se une, fica isolado, e acabam fracassando.

ER: Ainda existe um preconceito do empreendedor em compartilhar suas dores, o que você acha dessa postura?
RS: É difícil salvar 100%, temos que trabalhar nas pessoas que estão dispostas a trocar experiencias. Quando as pessoas compartilham suas dores com outros empreendedores, acontece uma mágica e todo mundo ganha. Muitas coisas interessantes são criadas nas conexões, existe muita coisa subaproveitada e de alguma forma é possível fazer essa troca saudável e ajudar o mercado a crescer. O ABC é um seleiro de oportunidade, ter pessoas que trabalham em suas comunidades fomentando o ecossistema empreendedor é garantia de bons negócios para todos.

ER: Como o Sr. Enxerga a crise?
RS: Há um lado bom da crise, ela é boa para mudança. Hoje, por necessidade, as pessoas se conversam e assim conseguem se ajudar. É um momento que tem uma janela de oportunidades para o Brasil e para a região. Estamos criando inteligência, quando a economia voltar a crescer, as empresas não só vão se recuperar, mas como vão crescerão 4 vezes mais rápido.
Hoje com as plataformas de colaboração e participação estilo Facebook e Uber, os negócios também estão assim, então o ambiente colaborador é muito importante, senão a coisa não se desenvolve. Estamos saindo de uma era onde a teoria da escassez regia o mundo dos negócios. O que era a teoria da escassez? eu tenho uma ideia e guardo, eu tenho dinheiro e guardo, se todo mundo guardar, falta tudo no mercado.
Agora a teoria da abundância é, eu tenho uma ideia eu compartilho, eu tenho dinheiro eu invisto no outro, assim essas conexões acontecem mais rápido. A inovação hoje está muito mais rápida porque as pessoas compartilham ideias, se uma empresa possui uma parte da inovação e a outra possui a outra parte, elas fazem uma aliança e já consegue entregar para o mercado. Há meios das duas partes ganharem dinheiro. Enquanto sozinho nenhuma empresa iria ganhar. Quanto mais acelerado for, mais oportunidade e impacto positivos é gerado. O ambiente de colaboração exige que todos sejam co-responsáveis pelos projetos.

“O ABC é muito rico, temos que ter um olhar da oportunidade que a gente pode construir de novo para poder crescer. O protagonismo do empreendedor tem que mudar o cenário” Roberto Sekiya