Empreendedores e investidores rumo à Portugal

  • Compartilhe:

As startups são reconhecidas mundo à fora por algumas características, e dentre elas, está a velocidade como base de um modelo de negócio que já mostrou a que veio e que sua força é capaz de mudar uma economia e até mesmo a forma de consumo de uma sociedade.

Proporcionalmente a velocidade que as startups adotam em seu dia a dia, são as mudanças que estão ocorrendo em função desta nova mentalidade, forma de criar e gerir recursos e produtos, e na Europa não seria diferente. Se até pouco tempo atrás as startups europeias olhavam primeiro para Silicon Valley sempre que pensavam numa estratégia de exit, atualmente enxergam os Estados Unidos como um destino de compra e, principalmente, para expandir-se internacionalmente.

Assim como o tempo, as expectativas são outras e as possibilidades também. Em função de investimentos e, principalmente, do entendimento de que era preciso apoiar o desenvolvimento de inovação e tecnologia, colocou Portugal no radar mundial e diferente de outras épocas, dessa vez não foi pelo turismo ou outros atrativos incontestáveis do país, mas pelo seu ecossistema empreendedor. De forma consolidada e funcionando ativamente, Portugal se tornou o destino escolhido para a criação de novas empresas e instalação de incubadoras vindas de todo o globo. E vale a pena ressaltar ainda que várias empresas portuguesas têm levado longe o nome de Portugal, pela sua inovação e competitividade.

Mas não se engane, nada disso aconteceu da noite para o dia ou por mero acaso ou sorte. A Startup Portugal, por exemplo, é uma iniciativa do Governo integrada na estratégia nacional para o empreendedorismo, com o objetivo de criar um ecossistema de empreendedorismo à escala nacional. Atrair investidores nacionais e estrangeiros para o investimento em startups, além de promover e acelerar o crescimento das startups nos mercados externos, são algumas das metas do projeto. Eu mesmo já falei aqui da minha experiência no Web Summit ano passado, que foi incrível. Outros eventos internacionais tais como o The Next Web ou o Tech Crunch Disrupt, também entraram para a agenda do Startup Portugal que tem marcado presença com delegações de startups portuguesas.

Só para se ter uma ideia e ainda no âmbito da estratégia definida pelo Governo, há cerca de dois anos para a criação de um ecossistema empreendedor foram definidas 15 medidas, várias já estão em curso. Outro ponto, a Portugal Ventures, por exemplo, é responsável pela gestão do investimento público em startups, com competências para coordenar, implementar e monitorizar as medidas, com um fundo de 150 milhões de euros para um período de quatro anos.

E sabe a importância desses números e avanços? De acordo com dados divulgados pela StartUp Portugal, referentes ao período entre fevereiro de 2016 e fevereiro de 2017, a taxa de desemprego baixou menos de 10% e 46% dos novos empregos foram criados por startups com menos de 5 anos de existência. Ainda segundo os dados divulgados, a média de postos de trabalho criados foi de 2.2 no primeiro ano de existência das startups e durante esse período foram criadas 584 startups.

E para aqueles que desejam descobrir Portugal e vivenciar as possibilidades e oportunidades que apresentei acima, chegou a hora. O ITESCS (Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul) em parceria com a Atlantic Hub criou o evento Atlantic Connection 2018 que será realizado na sede da INVESTE SP, em São Paulo. No mesmo dia será realizada também a 2º Edição do Startup Award Brasil - iniciativa que premiará a Startup vencedora com um passaporte para o Web Summit Lisboa 2018.

O evento vai reunir os maiores nomes do ecossistema empreendedor dos dois países. Além disso, durante a tarde será realizada uma feira com estandes de startups brasileiras e portuguesas para que elas possam expor suas soluções e buscar novos parceiros e clientes. Outro destaque do evento e novidade este ano será o espaço para agendamento de reuniões one-on-one (entre startups e mentores que estarão presentes) e pitchs a cada 30 minutos (sorteio de quatro startups participantes com estande na feira para apresentação de pitch).

Para aqueles com startups no Brasil com potencial de internalização e que visam a Europa como destino, esta é a oportunidade para fazer seu pitch e carimbar seu passaporte para o Web Summit Lisboa 2018, é mais do que uma porta de entrada é a oportunidade de abrir mercado e buscar parceiros estratégicos para que seu negócio escale com respaldo e solidez.

Para mais informações e para garantir seu ingresso:www.atlantichub.com/atlanticconnection2018

Para inscrição de Startup: www.isyourprojecttheone.com