Trabalhe o seu cérebro e ele trabalhará com você

  • Compartilhe:

O cérebro é um órgão complexo, repleto de conexões e tem prioridade em todo o sistema. Aprende e generaliza o aprendizado, reage de maneira autônoma em mais de 85% nas situações do cotidiano, de maneiras diferentes a cada momento vivenciado no dia a dia, seja em casa ou nas variadas atividades rotineiras, inclusive, no trabalho. Falando em trabalho, caros empresários, líderes e gestores: excesso de cobrança por resultados rápidos desencadeia uma avalanche de estresse incrivelmente nocivo para a saúde e para o desempenho profissional.

Acreditamos que você já ouviu a frase de que a equipe é reflexo do líder?

Diríamos que faz sentido essa afirmação, mas o contrário também é verdadeiro, o líder pode ser reflexo da equipe. Existe um sistema no cérebro que nos faz imitar comportamentos, sentimentos e até pensamentos das pessoas que estão ao nosso derredor, são os neurônios espelhos, um exemplo clássico é o do bocejo, é por causa desses neurônios que imitamos ao vermos ou imaginarmos alguém bocejando. Contudo, para que ocorra isso é preciso haver identificação, se o profissional não se identifica com o líder, não entrará em rapport e irá refutá-lo, mas o contrário dessa situação, também é verdadeiro. Atualmente existem líderes estressados e estressores e mais uma vez, o contrário é...

Falta de feedback e clareza de propósito organizacional, bem como, baixo reconhecimento e remuneração deficitária, faz com que a ansiedade mande constantes mensagens de alerta para o cérebro, provocando transformações mentais e físicas no corpo. O coração dispara, a pressão arterial aumenta, a pupila dilata e o cérebro reage para que possa lidar com o novo estresse.

Estresse nem sempre é ruim, por exemplo, o Eustress é o bom estresse, aquele que te motiva a começar ou continuar trabalhando, é o estresse do bem. Todos nós precisamos de um pouco de estresse em nossa vida, a fim de continuar a ser feliz, motivado, desafiado e produtivo, pois faz com que os níveis de atenção cresçam. Isso ocorre quando o funcionário percebe que tem controle sobre as situações desafiadoras, sendo plenamente competente para solucionar tais demandas. Os seres humanos são orientados por objetivos, mas cuidado, o estresse se torna perigoso quando o profissional acredita que não possui as competências necessárias para as resoluções das demandas, que não dará conta do trabalho solicitado, se isso ocorrer ele paralisa, podendo entrar num estado de apatia e inclusive, podendo desembocar num processo depressivo.

O que fazer então? Acreditamos que existem quatro fatores primordiais para os profissionais ficarem de bem com o seu cérebro e automaticamente, ficarem de bem com o seu trabalho e com a sua vida. Os quatro fatores são: sono, lazer, exercício e desenvolvimento. Antes de qualquer coisa, é preciso gerenciar os problemas do cotidiano no trabalho, o expediente de trabalho acabou, pare de pensar neles! Não dá para relaxar, se ao sair do trabalho continuar nele, mesmo que não seja de forma física. Ir para casa ou faculdade remoendo as pendências do dia ou criando ansiedade sobre os problemas do outro, não irá ajudar na resolução.

Desconectar-se dos problemas do trabalho quando não estiver trabalhando é fundamental, diria até vital! O lazer contribui para tal tarefa, pois ao fazer algo que realmente gosta, você ativa uma área importante de motivação e recompensa e assim, o seu cérebro se ocupa com atividades prazerosas e entra numa vibe de satisfação, motivação e recompensa.

Outro fator fundamental é a qualidade do sono. Você sabia que você não aprende as atividades no trabalho, nem mesmo na escola ou faculdade? Você aprende pra valer quando dorme! O sono faz com que o cérebro registre e fixe as atividades desenvolvidas durante o dia, e ainda, trace estratégias para resolução de problemas. Algo incrível que também acontece durante uma noite de sono restaurador, é a neurogênese no hipocampo, isto é, o nascimento de neurônios na área do cérebro que é "responsável" por consolidar as novas informações, codificar em experiências, realizar monitoramento do ambiente exterior, correlacionando entre si velhas e novas informações, e mais, essas novas células ampliam a capacidade de aprendizagem e assim, auxilia na admiração do estresse do dia a dia.

O desenvolvimento seja pessoal ou profissional é importantíssimo para a saúde do cérebro, já que ele se molda diante do aprendizado e desenvolvimento, ele melhora, progride, se potencializa com o uso, cérebro parado morre mais cedo! O desenvolvimento amplia a concentração, a percepção, a memória e a motivação. Pesquisas mostram que ao tomar uma única decisão que gere aprendizado, ocorre uma diminuição de glicose que permanecerá disponível para uma decisão seguinte. Quanto mais se desenvolve, mais "gás" tem para se desenvolver.

O quarto fator primordial para os profissionais ficarem de bem com o seu cérebro é o exercício físico, que é fundamental para a saúde total do ser humano, e o cérebro como sendo o órgão que possui prioridade, também faz excelente uso das atividades físicas, todavia, precisa ser uma atividade que proporcione prazer, ao contrário, contribuirá para ampliar o estresse. Fazer um exercício físico prazeroso, também contribui para o bom funcionamento do hipotálamo.

Para que o seu cérebro funcione bem, ele precisa priorizar o sono, o lazer, o exercício e o desenvolvimento e diminuir a complexidade dos problemas. Sem dúvidas, esse é o grande segredo de uma estratégia mental saudável. E se você fizer uso dessa estratégia, a aplicação dos quatro fatores, o seu cérebro te impulsionará cada vez mais e melhor em direção a sua felicidade. Siga em frente e seja no mínimo, muito feliz!