TRANSFORMAÇÃO DIGITAL UMA JORANDA CONTÍNUA - Empreenda revista Laravel

TRANSFORMAÇÃO DIGITAL UMA JORANDA CONTÍNUA

  • Compartilhe:

TRANSFORMAÇÃO DIGITAL UMA JORANDA CONTÍNUA

 

Transformação digital é um processo no qual as empresas fazem uso da tecnologia para melhorar o desempenho, para garantir resultados melhores. É uma mudança estrutural nas organizações, dando um papel essencial para a tecnologia.

As empresas constituídas antes do surgimento da internet enfrentam um grande desafio: muitas das regras que orientavam o progresso dos negócios na era pré-digital não se aplicam mais, isso leva tempo e consome recursos, mas não são só as grandes organizações que podem implantar programas de transformação digital, até porque isso não se resume a quem tem mais dinheiro.

Antes, é preciso entender o processo todo que leva a essa mudança e trabalhar de forma colaborativa para alcançá-la. Isso, por si só, torna a transformação digital um desafio muito mais de gestão do que apenas de marketing ou tecnologia.

 

Progresso tecnológico

A transformação digital não é só mais uma palavra da moda, um termo bonito, pelo contrário, ela faz parte de um processo muito maior, que é chamado de progresso tecnológico. São três fases principais, sendo a transformação digital a última.

  1. Digitização é descrita como o processo de transição de informação analógica para uma forma digital. Como assim? Se trata da representação de sinais, sons, imagens e objetos no meio digital por meio de valores binários (cada valor é representado por 0 ou 1). Em outras palavras, os dados são transformados em bits e armazenados em dispositivos eletrônicos. Indústrias inteiras se beneficiaram muito desse processo, pois tornou-se bem mais fácil guardar e proteger informações importantes e, por vezes, confidenciais.

 

  1. Digitalização já é bem mais abrangente e consiste nas mudanças reais realizadas nas organizações por meio da tecnologia. Isso inclui alguns conceitos bem avançados, como Big Data, internet das coisas, blockchain, criptomoedas, entre outros. Um erro comum é acreditar que a digitalização significa usar mais TI, mas os exemplos citados mostram que vai muito além disso, já que envolve uma visão mais holística da tecnologia a fim de causar mudanças.

 

  1. Transformação digital, agora chegamos, por fim, à transformação digital, que é descrita no progresso tecnológico como “o efeito total e geral da digitalização na sociedade”. O que isso quer dizer? Com a digitalização em seu estado completo, novas oportunidades de mudança e evolução surgem para organizações de todo tipo.

É possível — e por vezes necessário — mudar estruturas socioeconômicas, padrões organizacionais, barreiras culturais e até leis. Dessa forma, podemos dizer que a digitização é a conversão, a digitalização é o processo e a transformação digital o efeito.

Em termos comerciais, a transformação digital não somente é para mostrar a seus clientes, as vezes a transformação que acontece internamente em seus processos gerenciais, por si só, vai ajudar você a crescer com um custo menor.

Mais do que tecnologia, a transformação digital é uma transformação cultural, você precisa trabalhar sua mente para começar a se perguntar, COMO OTIMIMIZAR PROCESSOS?

As tecnologias digitais mudaram a maneira como nos conectamos com os clientes e lhes oferecemos valor. Muitos de nós crescemos em um mundo em que as empresas transmitiram mensagens e forneciam produtos aos clientes. Hoje, porém, a relação é muito mais interativa, de mão dupla. As mensagens e as avaliações dos clientes fazem com que eles sejam muito mais influentes que a propaganda, transformando a participação deles e tornando-a mais dinâmica e crítica para o sucesso das empresas.

A transformação digital, apesar de não ser um termo novo, ainda há muitas dúvidas do que realmente seja essa transformação digital e como colocá-la em prática. Independente do segmento, tamanho, tempo de mercado ou público-alvo da empresa, simplesmente todo negócio será beneficiado ao se transformar digitalmente.

Resumidamente, transformação digital é quando há uma mudança organizacional na empresa para colocar a tecnologia no centro das atividades de todos os departamentos. A tecnologia ganha um papel fundamental na manutenção e evolução do negócio, do relacionamento com cliente à tomada de decisões estratégicas.

O consumidor já mudou. Está cada vez mais conectado e mais bem informado, ele quer informações precisas sobres as marcas, produtos e serviços, como a origem da matéria-prima e quer boas experiências de compra, com um relacionamento personalizado para as suas necessidades e gostos pessoais, tudo isso no ambiente online e offline.

As empresas hoje correm atrás para conseguir entender esse novo comportamento e atender o consumidor moderno, que não se restringe apenas a uma faixa etária. Quem não mudar, quem não entender a importância da inovação digital, não terá espaço no mercado e coloca em risco o futuro do negócio.

Transformação digital não se resume a pequenas iniciativas

Estar presente nas redes sociais, ter um bom site e um são estratégias fundamentais, mas não determinam se uma empresa está inovando digitalmente. Isso porque não se resume a iniciativas isoladas, mas sim uma mudança estrutural e, principalmente, cultural de toda a empresa.

É preciso entender como a tecnologia vem ser uma poderosa ferramenta para trazer agilidade e personalização ao atendimento do cliente. Bem como a possibilidade de leitura de um grande volume de dados, trazendo tendências e insights ao negócio. Exemplos esses que não poderiam ser feitos apenas por pessoas, pelo menos não com a mesma assertividade e velocidade.

 

 

O que o novo consumidor procura?

1. Experiência vale mais que a posse

Cada vez mais as pessoas estão deixando de lado a compra pela compra em si e buscando mais experiências. É por isso que hoje muitos casais trocam a festa de casamento por uma viagem ou os filhos, ao presentearem os pais, preferem investir em uma saída a um bom restaurante. Até mesmo em lojas físicas e shoppings os consumidores têm a expectativa de uma experiência diferenciada. Desde um espaço de lazer onde podem levar a família até a compra de um produto que precisa ser trabalhada para proporcionar algo único.

 

2. Agilidade

Nos dias de hoje, o tempo é o bem mais precioso que temos, por isso, o consumidor moderno valoriza a agilidade. Não é mais possível ficar pendurado no telefone para resolver algo simples ou precisar passar por um processo burocrático apenas para cancelar um serviço.

 

Nesse sentido, as empresas têm investido em automatizar serviços e possibilitar o consumidor de se auto-servir (self-service). Por exemplo, agora é comum entrar em sites e ter um chat aberto, onde o primeiro contato é feito com um chatbot, que já é capaz de responder perguntas recorrentes e básicas. Isso acelera o atendimento e ainda alivia os colaboradores que podem se dedicar a questões mais complexas.

 

Outro exemplo é o que algumas redes de fast-food já tem feito. Instalar totens de autoatendimento onde o cliente pode pedir o seu lanche e pagar por ali mesmo, sem necessidade de falar com um atendente.

 

3. Omnichannel

O que mais se fala no varejo hoje é o omnichannel. O consumidor não se relaciona com uma loja, mas com uma marca e ele quer ter uma boa experiência com ela em todos os canais de comunicação, seja na loja física, e-commerce ou redes sociais. Não existe mais distinção entre online e offline.

Muitos podem pensar que o varejo físico está com os dias contados, mas isso não poderia estar mais errado. É no meio offline que existe a maior oportunidade de proporcionar experiências únicas e mostrar a inovação da marca, por isso muitas delas que nasceram no meio online estão abrindo suas lojas físicas, como Amazon, Alibaba e a Amaro no Brasil.

Toda empresa que quer se manter viva no mercado e competitiva precisará passar por esse momento, por isso, quanto antes se investir, antes terá o retorno e estará à frente dos demais. Inovar digitalmente não pode ser visto como um custo da área de TI, é um investimento que afetará todos da empresa e todas as hierarquias.

 

O consumidor já mudou digitalmente, agora espera que o mercado acompanhe suas expectativas e proporcione experiências únicas, ágeis e personalizadas.

 

Transformação digital é uma jornada contínua

O comportamento do cliente muda frequentemente, portanto a transformação digital é uma jornada contínua. É um projeto que nunca vai parar.

Estamos vivendo um momento único, sairemos dessa fase, muito diferente de como trabalhávamos antes do covid-19. Se antes, tínhamos certos receios como por exemplo, trabalhar home office, será mais fácil se adaptar a mais rotinas assim, medidas como essa, tem impactos inclusive no deslocamento pela cidade e no fluxo dos grandes centros.

Outro cenário vivido é que de um lado, muitos consumidores estão em casa pedindo diversos produtos por canais digitais, do outro lado, comércios que eram totalmente presenciais estão tendo que se adaptar para o on-line imediatamente, estão passando por uma transformação digital forçada. Quem conseguir se adaptar mais rapidamente a esse contexto, terá um ganho não só nesse curto espaço de tempo, mas em todos os negócios a partir de agora.

“O comércio, em sua grande maioria, é presencial. Mesmo aquele que tem uma atividade online está tendo que se adaptar para ficar totalmente online, e isso faz com que os estabelecimentos passem por uma transformação digital forçada. Muitos pequenos e médios empreendedores estão sem fluxo de caixa e faturamento neste momento, e isso os obriga a cumprir uma jornada de anos em alguns dias. A multicanalidade – conhecida como omnichannel – será a grande tendência para a maior parte do comércio no Brasil nos próximos anos”. Vitor Magnani, Head de Public Affairs da Loggi

Vivemos em um novo ritmo de mudança, as coisas mudam a todo momento, isso não quer dizer que o físico vai acabar, o que está sendo colocado é que a multicanalidade será essencial para o Brasil nos próximos anos. Estamos passando pelo maior processo de transformação digital vivido nos últimos anos. Apesar do termo ter ganhado força em 2018, somente com essa crise causada pelo covid-19 e em decorrência do isolamento imposto pelo governo é que PMEs estão fazendo sua adaptação ao que muitos especialistas estão chamando de “novo normal”.

Se você chegar na conclusão de que o seu negócio ficou muito mais eficiente depois do seu projeto terminado, saiba que há sempre mais para fazer. Procure se atualizar todos os dias, o futuro chegou.

 

Por Elaine Julião, material escrito com base em entrevistas do Head Public Affairs da Loggi e pesquisa de conteúdo disponibilizado pela Rock Content e Funil de Vendas